O nascer de um novo espaço

Promo Lapsis Açores

A Terapia Familiar: quando e porquê

A Terapia Familiar nasce da ideia de que o trabalho terapêutico com as famílias permite ir além das questões individuais, auxiliando o grupo familiar a reorganizar-se perante os problemas. A sua força assenta no enorme potencial do grupo para o crescimento colectivo. (+)

Dança Terapia

Será a dança uma forma de terapia? Será que ela nos ajuda a encontrar formas de libertação? Quem está disposto a reencontrar o seu corpo, sem medo das suas sensações, quem realmente não tem medo de exteriorizar os seus sentimentos, quem acha que o seu corpo pode ser um veículo de experiências e vivências partilhadas com os outros corpos e com o espaço envolvente, nada tem a temer ou seja pode continuar a experimentar o corpo sem limites, tornando-o ilimitado, pode dançar, encontrar-se com o seu passado, com os seus medos e fantasmas e expressá-los  através do movimento.

Um simples estalar dos dedos, uma inclinação da cabeça, um simples olhar, um pequeno passo, enfim qualquer movimento pode desencadear uma série de movimentos invisíveis compostos por pequenas partículas que se espalham no espaço exterior que o alteram e o transformam. Parece magia, pois algo de inexplicável acontece para quem observa e sente todo esse desenvolvimento. A dança é detentora de um poder magico,  cura, questiona, liberta e atormenta com as suas verdades. Ela é divina.

Efthimios Angelakis 

Director do grupo de danço-terapia da lapsis

Mestre em estetica e arte-preformativa

1000 Characters left


Free templates for Joomlajtemplate.ru

Testemunhos

Mtoo Iiindo ameei, >< Maanda maais sober familia ^^

Eu gostei muito Renato,e agradeço porque esse texto me ajudou a fazer o meu trabalho,e eu tirei dez foi melhor trabalho da classe,muito obrigada mesmo. Meu nome é Francine Kamila e eu tenho dez anos.

Obrigado pela amizade. Luís Gaspar

Tenho que agradecer à Lapsis por todo o apoio psicológico que me deram há alguns anos. Em parte, se não fossem vocês, eu já não estaria cá :) Obrigada. Catarina R.